Resenha: Love: A história de Lisey - Stephen King


Sinopse: Lisey Landon compartilhava uma intimidade profunda e às vezes assustadora com seu marido, Scott, um escritor célebre e cheio de segredos. Um desses segredos era a fonte de sua imaginação, um lugar com a capacidade de curá-lo ou destruí-lo. Agora, dois anos depois da morte de Scott, chega a vez de Lisey enfrentar os demônios de seu marido, embarcando em uma perigosa viagem na escuridão que ele habitava. Love é uma parábola sobre a imaginação e o amor, e sobre o poder do amor de transformar e de salvar.




Love - É amor, entrega, ação, emoção, aceitação .. e muito mais!


Mais uma vez..
Imenso prazer em revisitar uma das obras que mais amo do autor Stephen King. Pois é isso mesmo, já li na versão anterior e agora na nova edição com essa capa linda, publicada pela @editorasuma

Sobre Stephen King e suas obras:

Tem quem ache suas histórias peculiares, mas poucas ou quase nunca vi um autor tão completo, que mexe com as emoções e nos faz refletir sobre sentimentos, sensações, emoções, dramas familiares, psicológicos, dentre tantos outros temas.

"Não quero chorar, 10 anos já não é idade para chorar (especialmente se você tiver passado pelas coisas que eu passei), mas estou começando a fazer careta de choro, não dá para evitar. Então, vejo uma das árvores adoráveis se destacar um pouco das outras, com seus galhos esticados para fora no que parece uma nuvem baixa". (p.656)

Sobe o enredo:

Lisey está viúva há dois anos, mas ainda não superou a perda do marido. O autor foca na necessidade da Lisey explorar alguns papéis do marido que estão no escritório de sua casa. Scott tinha uma imaginação fértil, mas não era apenas por ser criativo e sim por uma questão de sobrevivência. Para fugir de tormentos pessoais, ele criou um mundo seu, repleto de peculiaridades que atendiam as suas necessidades.

O livro conta sobre as descobertas que Lisey vai fazendo sobre o marido após a sua morte, e com isso mostra que ela precisa repensar sobre quanto realmente conhecia Scott. A história tem uma linguagem própria, usada entre o casal, com palavras, apelidos e termos criados especialmente para tornar a atmosfera desse livro mais intimista.
A história tem um ar melancólico, não apenas por causa da viuvez de Lisey mas também pela história de vida de Scott.
O início é um pouco arrastado, mas no momento em que a investigação de Lisey inicia, torna-se impossível largar o livro.




Conclusão:

Os fãs de Stephen King sabem que o autor tem uma escrita própria e singular que trabalha de forma magnífica o aspecto psicológico dos personagens, evocando a loucura, o ciúmes, a inveja e os inúmeros instintos humanos que possuímos guardados dentro de camadas e camadas de cordialidade e "normalidade". O livro é dividido em três grandes partes, onde o foco principal aponta para um determinado personagem.

Recentemente tivemos uma adaptação, considero uma das melhores do autor também, contando com atores incríveis. Recomendo que leiam o livro e assistam ao seriado.

*Livro cedido em parceria com a @editorasuma @companhiadasletr




Ficha Técnica

Título: A Pequena Livraria dos Corações Solitários
Autor (a): Stephen King
Tradução: Fabiano Morais
Editora: Editora Suma (Grupo Companhia das Letras)
Páginas:536
Ano: 2021
Gênero/Assuntos: Horror / Ficção /  Literatura Estrangeira / Romance 

Onde Comprar: Amazon



Conheça outros livros da Editora Suma


Nenhum comentário

Obrigada pela sua visita, volte sempre!